Reportagens Diocesanas
publicado em: 04/10/2019
SENHOR, AUMENTA A NOSSA FÉ

       Senhor, aumenta a nossa fé

     A fé é um dom de Deus. Ela tem origem divina e, portanto, não é construção humana. Assim como não existe fábrica de semente, mas existe somente uma grande indústria ao redor da mesma para melhorá-la, irrigá-la, adubá-la etc. Assim também a religião não é capaz de “fabricar” a fé.  A religião é a responsável pelo cuidado, proteção e manutenção da fé.

    A fé não se transmite geneticamente de pai para filho, não é tradição familiar ou influência que o ambiente cultural exerce sobre o indivíduo. Há famílias muito religiosas com alguns filhos e netos que dizem não ter fé. Há pessoas criadas em famílias sem religião, vivendo em ambiente hostil à religião que, misteriosamente, são tocadas pela Graça e passam a crer e se sentem profundamente amadas pelo Pai. A fé é um dom misterioso de Deus.

    Se a fé nos é dada gratuitamente, por que algumas pessoas tem fé e outras dizem não ter? Deus escolhe alguns privilegiados e esquece os outros? Claro que não. Deus é Pai amoroso e trata a todos os seus filhos com igual amor. Todo ser humano, mormente os batizados, está capacitado para receber o dom da fé. A diferença é que alguns, por inúmeros motivos, não acolhem o dom da fé enquanto outros a acolhem e a alimentam.

    Santa Teresinha passou por uma profunda escuridão na alma e aridez interior no último ano da sua vida. Sobre as piedosas poesias que ela escreveu naquele ano de doença terminal e trevas interiores, ela afirmou que expressava não aquilo que estava “sentindo”, mas declarava nas poesias: “aquilo que eu quero crer”.  Portanto, na fé, há também uma parcela de força de vontade – o querer crer.  

   - Você quer crer ou espera que a fé brote espontânea e independente da sua vontade? Deus respeita totalmente o livre arbítrio. A fé não lhe é imposta, lhe é oferecida como um dom e cabe a você acolhê-la e alimentá-la.

     Uma vez acolhida, a fé torna-se uma visão de mundo e uma maneira de viver a vida. A fé vai além das ideias e ela se concretiza no nosso modo de agir e reagir diante da complexidade da existência. Aconteça o que acontecer, mesmo sofrendo e não entendendo o que lhe está acontecendo, como crente você poderá gritar em meio a sua escuridão: Eis-me aqui Senhor, seja feita a vossa vontade.

    A fé é composta de três partes desiguais. Ela contém 20% de conteúdo racional que podemos compreender e explicar -  é a teologia. Outros 20% de “emoção” que se expressa, sobretudo, na liturgia, na arte e na intuição. Emoção, na vida espiritual, deve ser como a medida certa de açúcar no café. O excesso de emoção, o emocionalismo, torna a religiosidade melosamente intragável.

    E 60% do dom da fé é mistério. É uma certeza absoluta e, ao mesmo tempo, inexplicável, não somente da fria existência de Deus, mas da percepção profunda de uma Presença amorosa e infinita que nos envolve eternamente. Alguns afirmam ou negam a existência de Deus exatamente como outros afirmam ou negam a existência de disco voadores. Ou seja, a vida deles continua a mesma, independentemente se existe ou não, disco voador ou Deus.   

     Cheios de gratidão, todos nós que recebemos o dom da fé, queremos alimentá-la diariamente com a leitura orante da Palavra de Deus, no encontro com nossa família espiritual, na Missa dominical, onde nos alimentamos do Pão da Vida e recebemos a bênção de Deus, além da fé contagiante dos irmãos que oram conosco e, agradecidos, podemos exclamar: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

                       Dom Rubens Sevilha, OCD.