Artigos

A arte de exercer o sacerdócio - por Orminda Camargo

Na solenidade do Sagrado Coração de Jesus, celebramos a Jornada Mundial de Oração pela santificação do clero. O Senhor nos convida a seguir a lógica do Seu Amor: “Santificai-vos e sede santos, porque eu sou santo” (Lv 11-44).

       “Para mim, santo é aquele que tem consciência de que é pecador” (Cardeal Luenens). O cristão se torna santo quando deixa aos cuidados do Senhor Deus seu coração, seu agir e seu destino.

        A santidade é uma virtude intrínseca do sacerdote e Jesus se vale dele para atualizar, no ato da consagração, o sacrifício da cruz. Para servir à Igreja e ao Mundo, o sacerdote precisa ser santo e o modo de se colocar na vida, sempre crescendo em Deus, é uma característica de santidade.

        O sacerdote é o peregrino do absoluto, não esmorece, nem recua. Segue em frente para selar a aliança definitiva com Deus. É o sacerdote do Senhor, escolhido e preparado por Ele e agir em nome Dele. Por isso, respeitemos a sua presença no meio de nós, auxiliando-o na busca constante da conversão e da santidade.

        O coração de Jesus pulsou forte no momento em que deu aos homens os seus mais apreciados dons, em especial a participação no ofício sacerdotal. Sendo o sacerdote um servo de Deus e somando esforços com a comunidade, constitui uma gigante ferramenta para tocar o coração daqueles que, ainda, não conhecem Jesus. Que tenhamos sacerdotes santos para cumprirem suas atribuições com a máxima grandeza de alma!

       Façamos deste momento a oportunidade para dar graças a Deus pelo dom do sacerdote em si mesmo e pelo serviço que, através dele, se presta à Igreja e à sociedade. Por isso clamemos: Senhor, derramai sobre todos os sacerdotes o orvalho da vossa piedade e que Nossa Senhora assista e proteja esses heróis, em suas exigentes tarefas.

       Nós, leigos, temos o dever de nos colocar ao lado de nossos pastores e, através de uma colaboração generosa, humilde e madura, possamos ajudá-los nas ações pastorais e evangelizadoras. Por isso, peçamos: Senhor, governai em vossos eleitos os pensamentos, os sentidos e o trabalho.

     Querido sacerdote: professe a fé como missionário da esperança para que sejam abertas as “prisões humanas”, e lembre-se: Em tudo que colocar o amor, Deus o conduzirá para a prática das obras santas!

     “A abelha extrai o mel das flores sem estragá-las, deixando-as intactas e viçosas como as encontrou. A verdadeira santidade faz melhor ainda, pois não apenas não traz prejuízo a qualquer vocação ou ocupação, mas acrescenta-lhe beleza e prestígio” (São Francisco de Sales).

    Uma vocação: Muitos frutos!

    Orminda Machado de Camargo - escritora e paroquiana do Sagrado Coração de Jesus