Material Formativo
CF 2013 - Palestra Agir - Kláudio Coffani
Formação diocesana para a Campanha da Fraternidade 2013 realizada no dia 25 de novembro de 2012 na USC.

Campanha da Fraternidade 2013

Tema: “Fraternidade e Juventude”; lema: “Eis-me aqui, envia-me!”

Palestra - Agir

Kláudio Coffani

 

CONVERTER-SE AOS JOVENS

- Conversão pastoral: atitude de auto avaliação e coragem para mudar as estruturas pastorais obsoletas da Igreja, para que ela seja geradora de discípulos missionários

- Deverá superar o dualismo entre teoria e práxis, entre mudança pessoal e mudança social, entre conversão externa e conversão interna

- Devemos elaborar um consistente instrumento teórico para a evangelização da juventude, revisar nossos métodos, adaptar-nos às novas linguagens, inserir-nos nos ambientes tecnológicos e midiáticos

 

A IGREJA PRECISA DOS JOVENS

- Uma pastoral organizada orienta os jovens a conhecer, a amar e a abraçar a Igreja

- Favorece ao jovem a responsabilidade de auxiliá-la em sua missão

- Ao conhecer a sua Igreja, o jovem não só abraçará a missão de promover vida plena para todos, mas também saberá defendê-la

 

ACOLHIDA AFETIVA E EFETIVA AOS JOVENS

- Auxiliá-los no processo de busca de respostas

- Abrir-se à novidade que os jovens e seus grupos trazem e que podem exprimir o Evangelho de Jesus Cristo

- Muitas de nossas estruturas eclesiais não abrem suas portas para acolher a realidade e a cultura dos jovens

- Ir ao encontro daqueles que estão em situação de risco e que devem ter a primazia do anúncio do Evangelho

- Todo o corpo eclesial é chamado a essa conversão

- Acolher os jovens e servi-los em suas necessidades

- Necessidade de transformações sociais em favor dos jovens.

 

ABERTURA DA SOCIEDADE AOS JOVENS

- A sociedade precisa aproximar-se do mundo juvenil

- A defesa da vida é o primeiro dever do Estado

- O Estado precisa desenvolver políticas que revertam em atenção social aos jovens e investir neles

- As várias instituições sociais e políticas devem considerar a voz e a presença dos jovens

- É preciso considerá-los agentes de transformação

- É urgente a valorização da capacidade dos jovens de navegar na cultura midiática e de utilizar eticamente as redes sociais para o bem comum

 

ABRIR-SE AO NOVO

- Recriar o sentido da existência e da realidade

- Considerar que o sentido da vida não pode mais ser entendido como uma espécie de princípio a priori, ao qual se deve aderir por tradição ou por imposição

- Compreender que cada um não poderá fazer o que quiser ou o que julgar mais cômodo ou adequado para si mesmo

- Valorizar o esforço de cada um para descobrir o sentido da existência em seu próprio contexto, em diálogo com sua própria tradição e com as demais que venha  conhecer

 

Recriar relações significativas com o Deus

- Viver de modo a testemunhar que todo ser humano é o que há de mais sagrado na criação

- Respeitar as manifestações de fé dos não batizados, por meio do diálogo e do serviço,  e anunciar, pelo testemunho de comunhão, a graça de encontrar Jesus; respeitar a liberdade de culto e os sinais sagrados de outras religiões

- Demonstrar entusiasmo por pertencer à Igreja e participar com alegria de suas atividades

 

Recriar as relações afetivas e a vida comunitária

- Reconhecer a Igreja como uma comunidade de amor, que atrai as pessoas para Cristo

- Superar as divergências e as diferenças na família, na comunidade e nos grupos, promovendo a cultura de paz

- Estender o serviço da caridade a todos os que se sentem marginalizados e isolados da vivência fraterna

 

Recriar relações de gratuidade para uma postura afetivo-construtiva

- Superar o individualismo e a competição que tolhem da sociedade a possibilidade de relações de gratuidade

- Construir uma afetividade que não se restrinja à subjetividade do sujeito, num processo de valorização e de abertura às interpelações da alteridade no seu mistério e às várias facetas da realidade

- Acolher os valores éticos que edificam e humanizam todos os âmbitos das relações pessoais e sociais

 

Recriar as relações e o compromisso nesta mudança de época

- Reconhecer os benefícios dos meios de comunicação atuais e utilizá-los com discernimento

- Perceber os perigos que o uso descuidado das tecnologias digitais pode provocar

- Cuidar para que os relacionamentos virtuais não prejudiquem os encontros pessoais, nem sirvam para alienar e para isolar as pessoas

 

Recriar o dinamismo de transformação da sociedade

- Protagonizar ações solidárias e perceber que abraçar causas enobrece e alegra

- Perceber as interpelações dos jovens que clamam pela inclusão social e pelo combate aos processos de marginalização

- Promover ações contra o mundo das drogas a violência crescente que vitimam inúmeros  jovens, os sofrimentos dos jovens indígenas, quilombolas, dos campos e das periferias

 

Recriar relações de respeito e de integração com o meio ambiente

- Desenvolver uma sadia relação com o planeta e  com os demais seres

- Não sobrepor a natureza à pessoa humana nem reduzi-la a simples conjunto de dados empíricos, como se fosse mera matéria sujeita ao nosso bel-prazer e desfrute

- Adotar novo estilo de vida, orientado para o desenvolvimento integral de todos; rever o atual padrão de consumo

 

Recriar a razão para além da razão instrumental

- Formar para o diálogo entre fé e ciência, especialmente nos ambientes de ensino superior

- Abrir o coração e a inteligência para a alteridade e para as interpelações advindas das necessidades reais das pessoas e da sociedade

- Discernir ou julgar os âmbitos da realidade a partir da fraternidade e da justiça superando a indiferença e o conformismo com situações geradoras de sofrimento e morte

 

“EIS-ME AQUI, ENVIA-ME!”

 

O protagonismo dos jovens para o bem de todos

- É um reconhecimento do potencial jovem

- Precisa ser orientado e discernido a fim de direcioná-lo em favor de sua formação integral, do bem comum, da cidadania e da dignidade da vida humana

- No ecossistema comunicativo, a que estamos interligados, nós nos tornamos responsáveis pelas nossas escolhas

 

A seguir, algumas linhas e pistas de ação

 

Em âmbito pessoal

- Grande exemplo e modelo de inspiração: Jesus Cristo

- Oferece a todos um projeto de vida

- É importante apresentar e testemunhar Jesus Cristo no contexto em que o jovem vive

- Resposta às suas angústias e às suas aspirações mais profundas

 

A dimensão psicossocial: personalidade, identidade, sexualidade

- Fase de formação da personalidade

- A atenção é fundamental para ajudá-lo a encontrar o seu caminho, construir sua personalidade

- O amadurecimento passa pelas relações interpessoais

- Projeto de educação para o amor

- As relações afetivas e o desenvolvimento da sexualidade precisam ser tratados com carinho e atenção

 

A abertura para Deus e para a transcendência

- Retorno ao sagrado, marcado por uma religiosidade individual

- São importantíssimos os encontros de oração e de espiritualidade, os seminários vocacionais, as semanas jovens, as jornadas diocesanas e paroquiais

- Acompanhamento pedagógico e teológico adaptado à vivência grupal

 

A responsabilidade social

- A crise das autoridades e das fontes de poder gera inúmeras questões na formação da dimensão política natural dos jovens

- As desilusões podem afastar os jovens e torná-los apáticos aos problemas sociais

- devem ser animados a abraçar a dimensão do serviço

- Despertar para o profundo sentido da consciência humana

- Proporcionar oportunidades de diálogo

- Auxiliar se compreender nessa mudança de época e a tomar consciência da cultura midiática

- Favorecer condições para que se abram ao encontro com Jesus Cristo

- Orientar para a adesão às organizações em vista de seus direitos, da dignidade humana e dos valores éticos fundamentais

- Incentivar para que se engajem na luta contra a violência infantil, contra o trabalho escravo, contra o tráfico humano e contra o narcotráfico;

- Proporcionar condições para que formem grupos de voluntariado e criem uma rede de trabalho solidário

- Apoiar na organização de oficinas sobre temas ligados à promoção da vida, espiritualidade, missão e compromisso político e ambiental;

- Incentivar a produzir mensagens para serem veiculadas nas redes sociais

 

Em âmbito eclesial

 

A força do encontro pessoal com Cristo

- Dimensão do encontro pessoal com Cristo como princípio da ação apostólica

- Encontro pessoal com Jesus Cristo não é algo abstrato

- O encontro com Cristo implica amor, gratuidade, alteridade, unidade, eclesialidade, fidelidade, perdão e reconciliação

- Suscitar uma forte consciência missionária, de testemunho autêntico

 

Uma catequese sólida

- Catequese que lance as bases da fé

- Que faça compreender o significado das liturgias

- Encaminhando ao encontro com Cristo e lhe oferecendo participação

- Catequese que eduque para a criticidade

 

A conscientização da responsabilidade social e eclesial

- Construção de um senso de responsabilidade social

- Trazer um novo significado sobre a política em suas amplas dimensões, a dimensão institucional da Igreja, a DSI, o envolvimento nas políticas públicas com relação à juventude

- Fortalecer o caráter associativo das iniciativas juvenis de expressão da fé

 

O jovem como sujeito de direito

- O jovem seja reconhecido como sujeito de direito eclesial e social

- A Igreja diante do jovem deve ser exigente, reveladora, educadora, compreensiva e, acima de tudo, promotora do profundo diálogo com Deus

- A Igreja deve ser a grande catequista da juventude

 

A Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude

- Criada em 2011

- Para organizar e animar a ação evangelizadora da Igreja, favorecendo o amadurecimento integral dos jovens

- Acompanha o processo de educação da juventude na fé e a formação de suas dimensões antropológicas

 

As Pastorais da Juventude

- Pastoral da Juventude Rural

- Pastoral da Juventude

- Pastoral da Juventude do Meio Popular

- Pastoral da Juventude Estudantil

Estão sob a responsabilidade da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude

 

A ação evangelizadora no meio universitário

- 2007 - criação Setor Universidades dentro da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação e a Cultura

- Cuidado da juventude em sua formação integral, escolar, acadêmica e profissional

- Espaço de diálogo e articulação das diversas iniciativas de evangelização do meio universitário

- Atua em comunhão efetiva com os demais projetos da própria universidade

 

Os movimentos eclesiais e as novas comunidades

- Novos movimentos e comunidades são um dom do Espírito Santo para a Igreja

- Espaços de formação cristã

- Muitos jovens têm acesso à mensagem do Evangelho por meio desses movimentos e dessas novas comunidades

- Encontrem seu espaço na comunidade paroquial e diocesana

 

As comunidades rurais, indígenas e quilombolas

- É preciso integrar a realidade desses jovens, com suas particularidades, às nossas reflexões e ações.

- A identidade das culturas dessas populações tradicionais nos enriquecerá por meio de um intercâmbio missionário

 

O ecumenismo e o diálogo inter-religioso

- O pluralismo religioso pôs fim à hegemonia do modelo da cristandade

- O Concílio Vaticano II proclamou o direito à liberdade religiosa

- Constituir relações inter-religiosas positivas e construtivas

- envolvimento em ações ampliadas que estabeleçam uma comunicação maior, baseada no respeito e na fraternidade universal

 

Propiciar o encontro pessoal com Cristo

- Favorecer encontros de oração, congressos, cenáculos, seminários vocacionais, semanas jovens, jornadas da juventude

- Fazer com que os jovens encontrem na Igreja a acolhida maternal

- Organizar a catequese de iniciação cristã com um projeto sólido, linguagem acessível e métodos adequados

- Estudo do Catecismo da Igreja Católica

 

Promover debates sobre a relação entre razão e fé, ciência e fé, sobre temas atuais relevantes

- Utilizar os novos recursos midiáticos de comunicação para o anúncio do Evangelho, divulgação dos eventos pastorais, catequese mais e para uma formação universitária mais abrangente

- Valorizar e acolher os jovens

- Reconhecer os jovens como sujeitos de direito

- Oferecer aos jovens canais de participação e envolvimento nas decisões nas instâncias eclesiais

- Articular e potencializar espaços informais e culturais para gerar outro grupo nas comunidades carentes de espaços juvenis

- Valorizar a diversidade e a contribuição específica das várias expressões juvenis locais na organização do Setor Diocesano da Juventude;

- Estabelecer o diálogo e a aproximação entre as diferentes iniciativas lideradas pela juventude nas universidades

- Formar e reconhecer as pequenas comunidades

- Preparar os jovens para o diálogo inter-religioso, para que desenvolvam o sentido da fraternidade universal dos seres humanos diante de Deus, o respeito às diferenças e superação de conflitos por disparidade de culto

- Educar para o diálogo entre fé e razão, no respeito fundamental à ciência e à cultura, para dar as razões da própria fé e da esperança cristã

 

Em âmbito social

 

A família como primeira educadora

- A família é a instituição primária da sociedade

- Os pais devem ser os primeiros catequistas e os educadores dos filhos

- A família é, também, a primeira educadora na ordem social

- A transmissão da responsabilidade social, dos valores éticos e morais é dever insubstituível dos pais

 

O papel do Estado e da sociedade na formação juvenil

- Direito inalienável à educação

- A autêntica educação visa ao aprimoramento da pessoa humana em relação a seu fim último e ao bem das sociedades

- O Estado tem o dever de garantir uma educação sólida e ética e proporcionar capacitação e justos salários aos professores

- Colaborar com os estabelecimentos de ensino

 

A escola e a universidade como locais de formação solidária

- Conhecimento e projeção de um mundo solidário

- Melhora das taxas de conclusão no primeiro ciclo

- Desigualdade do acesso à Universidade

- Considerar a educação sob o prisma ético

Criar espaços para uma solidariedade transformadora

 

As redes sociais e a responsabilidade ética

- As novas tecnologias são espaços preciosos para o fomento de vivências solidárias

- Formar para a solidariedade implica formar indivíduos críticos

- Formar para a compreensão do outro a partir da fé como imagem e semelhança de Deus

 

Juventude e efetivação dos direitos

- Direito representa a perspectiva da promoção da igualdade efetiva

- Proporcionar garantias das condições para que grupos sociais possam existir e se desenvolver

- Desafio: levar a sociedade a perceber os jovens como sujeitos de direitos e protagonistas na promoção e recepção das políticas públicas

 

Valorizar as famílias como células da sociedade, em que o jovem tem as condições para seu desenvolvimento

- suscitar formação humano-afetiva aos jovens,

- incentivar as artes:

- incentivar a criação do site da escola, dos estudantes, de uma sala de aula, de grupos de estudo e de pesquisa, de blogs de conhecimento e de difusão de mensagens

- provocar os alunos nas instituições superiores para utilizar o conhecimento para a compreensão e análise da conjetura atual de mundo

 

Promover o voluntariado jovem e diversas oportunidades para a realização de projetos missionários

- Organizar encontros com os jovens profissionais, capacitando-os para a missionariedade na área específica de seu trabalho

- Utilizar as redes para fomentar, divulgar e infundir o bem comum, com fóruns, debates e discussões via Web

- Reconhecer e favorecer o protagonismo juvenil na cultura midiática

 

Dar condições para que os jovens promovam em seus grupos oficinas sobre como utilizar as novas tecnologias

- Provocar o debate com mecanismos institucionais que consolidem a efetivação dos direitos dos jovens

- Reivindicar que os poderes públicos assegurem mecanismos para o protagonismo dos jovens

- Fomentar a participação dos jovens nos Conselhos de direitos e demais espaços de controle das políticas públicas de juventude

 

- Desenvolver mecanismos de denúncia de violação dos direitos da juventude; abuso infantil, trabalho escravo, tráfico de drogas

- Construir estratégias para a reflexão, divulgação e monitoramento da Campanha Nacional contra a violência e o extermínio de jovens

- Participar de manifestações e apoiar iniciativas que defendam a vida

- valorizar as identidades culturais

- pautar temas relacionados às comunidades tradicionais e estabelecer parcerias na defesa de seus direitos

 

CONCLUSÃO

- A Igreja no Brasil, em sua história recente, tem o testemunho de momentos fortes de abertura e serviço aos jovens

- Esta Campanha da Fraternidade, também, quer convidar ao debate sobre as dificuldades sociais que atingem diretamente os jovens

- Esta Campanha que aborda o tema Juventude, convida à conversão, tanto a Igreja, promotora deste evento evangelizador, como os demais seguimentos da sociedade na dedicação aos jovens

 

TRABALHOS EM GRUPOS

1 – Quem devemos envolver na preparação, realização e avaliação da CF 2013 em nossas dioceses e paróquias?
2 – Que passos são necessários para planejarmos a CF 2013 nas dioceses e paróquias?

3 – Como dar esses passos antes do início da CF 2013 de modo que ela seja planejada, executada e avaliada?