Palavra do Bispo
Deus da Esperança

          Na Igreja, entramos hoje no Ano Litúrgico de 2016 que começa com o chamado tempo do Advento. Advento é uma palavra latina que significa espera no que há de vir, daí o seu significado de ser tempo de esperança em Deus que veio na encarnação de Jesus e que desejamos venha de novo confirmar a nossa salvação e, portanto, de preparação para o Natal. Nas leituras bíblicas do Advento, naturalmente, há as que falam do evento histórico do nascimento de Jesus, mas também há as que chamam a nossa atenção para a segunda vinda de Jesus e convidam-nos, carregando a atitude de conversão e vigilância e as mãos cheias de boas obras, a acorrermos ao seu encontro com súplicas para sermos reunidos à sua direita na comunidade dos santos. São quatro os domingos do Advento rumo ao Natal.

             Neste primeiro domingo do Advento, conforme o Evangelho da Missa - Lc 21,25-28.34-36 - Jesus anuncia que está próxima a salvação e, por isso, é preciso estar atento para se perceber a sua proximidade em meio aos sinais que aparecerão no sol, na lua e nas estrelas. Ele convida a levantar e a erguer a cabeça, a estar alerta e a orar a todo o momento, a fim de se ter força para escapar de tudo o que deve acontecer ao mundo, porque as estruturas do céu serão abaladas. Ele propõe, ainda, que se tome todo cuidado para que os corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida.

            Ora, se este Evangelho recorda ao cristão a verdade de que o Filho do homem virá com grande poder e glória, o espírito do Advento o toma com o propósito de indicá-lo como referência a respeito do modo como todo cristão deve viver o Advento e com que disposição espiritual deve se preparar para viver o Natal, com profundidade. Se em atenção àquele dia que cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra se exige estar atento, de cabeça erguida, em situação de oração constante e praticando o bem, com idêntico empenho e atitude se deve preparar para o Natal, cuja data é certa e está próxima, desejando vivenciá-lo na jubilosa esperança da última vinda de Cristo.

            Então, prezado leitor e leitora, é de todo conveniente, é bom e salutar que busquemos, com todo empenho, o fortalecimento espiritual de vida pelos modos como Jesus nos propõe no Evangelho.  O Senhor veio, vem e virá, essa é uma verdade de fé. Precisamos esperá-lo e acolhê-lo, em cada momento de nossa vida. Por conseguinte, comecemos agora com o Advento, magnificando a nossa oração, impregnando-a com a ação de graças e a gratidão ao Pai que nos enviou o Filho, ao Filho, nosso Salvador, e ao Espírito Santo que derramou o amor de Deus em nossos corações. Busquemos o fortalecimento espiritual de vida, como pede o Evangelho, com mais oração, mais caridade para com todos, mais vigilância e conversão e mais disciplina moral para vencer as tentações da devassidão, da embriaguez e das preocupações da vida.

            Ó Deus de esperança, renovai a vossa força em nós e vinde salvar-nos, vinde santificar-nos. O vosso Filho virá uma segunda vez, no fim do mundo, no entanto, vos suplicamos para estarmos sempre preparados a ir ao seu encontro no fim de nossa vida pessoal e, mais particularmente neste Advento, para esperá-lo e acolhê-lo no Natal, renovando, hoje, a graça da sua primeira vinda oferecida a todos nós, a graça da salvação, da santidade e da vida plena, conforme disse: “Eu vim para que tenham a vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). “Sede perfeitos, como é perfeito o vosso Pai celeste” (Mt 5,48). Ó Senhor, que a vossa graça e a vossa bondade nos acompanhem em todos estes dias rumo ao Natal! Amém.

            Só em Deus é lícito esperar, porque Ele é fiel. Nossa esperança é a espera confiante em Deus, que realizará a promessa que nos fez. A esperança cristã encontra no sim de Cristo às promessas do Pai a garantia de que não é vão esperar em Deus. Pelo sim de Jesus nos veio a ressurreição, a plena liberdade e a salvação, o mundo renovado e a vida nova. A esperança que nos vem do Espírito de Cristo é dom do Espírito Santo.

Fortalecidos pela esperança cristã, os cristãos caminham, com perseverança e serenidade em meio aos desafios e perplexidades deste mundo, aguardando os novos céus e as novas terras que o Senhor prometeu, crendo em Cristo e seguindo-O como seus discípulos missionários. “O Deus que virá e que os cristãos esperam já veio e já redimiu o mundo e a história” (Lisa Cremaschi). Por sua fé e adesão a Cristo, que tornou realidade as promessas de Deus, os cristãos são chamados a “dar as razões da sua esperança a quem lhas pede” (1Pd 3,15).