Reportagens Diocesanas
publicado em: 14/11/2019
DEUS SIM, IGREJA TAMBÉM - POR DOM RUBENS SEVILHA

   DEUS SIM, IGREJA TAMBÉM.

    Já ouvi algumas pessoas afirmando ter fé, mas não gostam da Igreja e rejeitam toda forma de religião como algo inventado pelos homens e, portanto, veem a fé e a religião como duas coisas opostas. Deus sim, religião não, dizem eles.

    Faço objeções para aqueles que dizem ter fé em Deus, que amam Jesus Cristo e seus ensinamentos, que procuram viver o mais corretamente possível, mas rejeitam a Igreja como se ela fosse uma simples organização humana que, ao longo da história, adquiriu mais vícios que virtudes e cometeu muitos erros como a Inquisição, as Cruzadas contra os muçulmanos, a condenação de Galileu, a venda de Indulgências etc.

    De fato, os homens da Igreja cometeram todos esses erros e muitos outros mais que a história não registrou. Apesar de nós pecadores, a Igreja é santa, pois ela foi fundada sobre a rocha que é Cristo, que será sempre sua pedra angular, e ela possui doze colunas que são os apóstolos. No meio dessa maravilhosa e indestrutível construção estamos nós, pobres pecadores, cometendo inúmeros erros. Uma coisa é a santidade da Igreja, outra coisa são os pecados dos “homens da Igreja”.

    Os apóstolos também cometeram erros, traindo Cristo (Judas Iscariotes), negando Cristo (São Pedro), duvidando de Cristo (Tomé). Muitos daqueles que estavam ao redor de Cristo o julgaram como “comilão e beberrão”, outros pensavam que Ele expulsava os demônios pelo poder de satanás.

    A Igreja em si mesma sempre será santa, mãe e mestra das nações. Infelizmente, nós somos filhos indignos da Santa Igreja. Para aqueles que afirmam ter fé, mas rejeitam a Igreja, pergunto: esta fé que você diz possuir, você a adquiriu de onde, a não ser da Igreja? Todo o conteúdo da sua fé foi extraído da Igreja que o transmitiu de geração em geração através dos séculos.

    Das duas uma, ou você adquiriu a fé transmitida pela Igreja que você rejeita, ou pior ainda, você inventou a sua própria fé criando um deus e uma religião à sua imagem e semelhança. Prefiro ficar com a fé que a Igreja cuida e transmite, do que ficar com uma fé inventada pela minha própria cabeça ou manipulada segundo meus interesses.

    Muitos apontam os “erros da Igreja” como pretexto para justificar o próprio individualismo e orgulho exacerbados. Afastando-se da família espiritual (Igreja) muitos terminam desesperados no atoleiro da solidão, além de adquirir profunda anemia espiritual.

    Você não vai à Igreja para encontrar pessoas. A Igreja não é clube. Você não vai à Igreja para realizar trabalhos filantrópicos. A Igreja não é ONG. Você não vai à Igreja porque não tem nada para fazer em casa. A Igreja não é parque de diversão. Você não vai à Igreja somente para se “sentir bem”. A Igreja não é Rivotril.

    Você vai à Igreja para se encontrar com Deus, para abrir o coração diante dele, para ser olhado por Ele, para ouvir a sua Palavra, receber a sua bênção, para pedir perdão, para alimentar a sua alma com seu Corpo e Sangue, na Eucaristia.

    Encontrando-me com o Pai, eu me encontro também com os meus irmãos e irmãs e a família se completa. São João da Cruz diz que, quem reza sozinho, é como uma brasa que, estando só, rapidamente se apagará. Muitas brasas juntas em um braseiro, demoram para esfriar; assim acontece quando rezamos unidos. Que o fogo do Espírito de Deus aqueça cada vez mais nossa Santa Igreja, braseiro de Deus.

                      Dom Rubens Sevilha, OCD.