Notícias
publicado em: 12/05/2017
Dom Caetano: Aonde ir e por qual caminho?

Esta é a questão que Jesus propõe e discute com os discípulos, segundo o Evangelho de São João lido na Missa deste quinto domingo da Páscoa – Jo 14,1-12. Desejando afastar o medo e a perturbação da alma quanto ao sentido da vida no presente, mas, sobretudo, no futuro, depois da morte, Jesus disse aos discípulos para firmarem a sua convicção na fé em Deus e nEle mesmo. Pois, “vou preparar um lugar para vós, e quando Eu voltar vos levarei comigo, a fim de que, onde Eu estiver, estejais também vós”. Garantindo que na casa do Pai há muitas moradas, Jesus afirmou: “E para onde Eu vou, vós conheceis o caminho”. No entanto, Tomé levantou uma dúvida, que era não só dele, mas também dos outros, afirmando que eles não sabiam para onde Ele ia nem conheciam o caminho. Jesus respondeu de pronto com estas palavras lapidares tantas vezes invocadas para fortalecer a nossa fé: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conheceis e o vistes”. Felipe entrou na conversa e pediu a Jesus: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!” Jesus lhe respondeu: “Há tanto tempo estou convosco e não me conheces, Felipe? Quem me viu, viu o Pai... Não acreditas que Eu estou no Pai e o Pai está em mim?”. Voltando o seu olhar aos outros, Jesus acrescentou: “Acreditai-me, Eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa dessas mesmas obras que Eu faço”. E concluiu: “Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que Eu faço e fará ainda maiores do que essas. Pois Eu vou para o Pai”.

Nossa vida cristã neste mundo consiste em seguir a Jesus, e quem segue a Jesus sabe qual a meta, o ponto de chegada da caminhada e inclusive sabe o caminho que conduz até lá. Ir para o Pai é a nossa meta, popularmente dizemos “ir para o céu”. De nada adianta acumularmos fortunas nesta vida se depois na outra perdermos o céu. E como chegar ao Pai, nós também o sabemos, isto é, seguindo a Jesus. Pois, segundo Ele disse: Jesus é o caminho certo rumo ao Pai, a verdade sem erro que revela o mistério do Pai e a Ele nos leva, e a vida plena que Ele veio nos dar a fim de irmos habitar eternamente com o Pai no céu. Resumindo, a mensagem para nós é: Crer em Cristo, seguir a Cristo e viver em Cristo é todo o segredo revelado por Jesus quanto ao sentido e fim último da nossa existência que é chegar ao Pai e quanto ao caminho que leva a Ele. Então, “Felipe, ainda não me conheces?”    

Alegre Notícia

Durante a semana, recebemos uma alegre notícia que é para toda a nossa Diocese e cidade de Bauru, já do conhecimento de todos. A nomeação pelo Santo Padre o Papa Francisco ao Episcopado do nosso estimado Padre Luiz Antônio Lopes Ricci para a Arquidiocese de Niterói/RJ como Bispo Auxiliar do Excelentíssimo Senhor Arcebispo Dom José Francisco Rezende Dias.

Padre Ricci, como é conhecido, é filho desta nossa cidade, aqui fez os seus estudos do ensino fundamental e depois ingressou em nosso Seminário Diocesano, recebendo a formação para o Sacerdócio e cursando a Filosofia e Teologia. Depois da sua ordenação sacerdotal foi enviado a Roma, onde se doutorou em Teologia Moral e, recentemente, fez pós-doutoramento em Bioética, em São Paulo. Há vários anos Pe. Ricci é Pároco da Paróquia São Cristóvão, em Bauru, e professor universitário na Faculdade São João Paulo II, em Marília. Exerce também o mandato de Diretor da Faculdade. Além disso, é assessor eclesiástico da Pastoral Diocesana da Criança. Exerceu outras funções na Diocese, como Vigário Geral e Coordenador Diocesano da Pastoral. Pe. Ricci é muito conhecido por todos e estimado pelos Padres e Fiéis das nossas comunidades. Por sua formação religiosa e intelectual é muito requisitado dentro e fora da Diocese para retiros, palestras e conferências. Ainda nestes dias fez o lançamento na Universidade Sagrado Coração – USC do seu livro “A Morte Social” – Mistanásia e Bioética publicado pela Editora Paulus.

Aproveito para expressar o mais sincero agradecimento ao estimado Papa Francisco e ao Senhor Núncio Apostólico, Dom Giovanni d’Aniello, pelo presente concedido à nossa Diocese e à Igreja no Brasil separando do nosso Presbitério um dos nossos dignos Presbíteros para o ordenar Bispo e o enviar à Igreja da Arquidiocese de Niterói.

Partilhando com você, prezado leitor e leitora, a alegria desta boa nova, convido-o a render graças a Deus pelas maravilhas que Ele vem realizando entre nós e também a oferecer as suas orações pelo agora Monsenhor Luiz Antônio Lopes Ricci.    

 

Dom Caetano Ferrari, OFM

Diocese de Bauru