Notícias
publicado em: 19/02/2019
O MISTÉRIO DA VIDA - Por ocasião da missa exequial da Sra. Neide Alamino

Somos envolvidos por grandes perguntas, mas que muitas destas, jamais serão respondidas pela nossa racionalidade. Algumas destas questões são portas abertas para mistérios. Neste dia 19 de fevereiro de 2019, no Santuário Nossa Senhora de Fátima, durante todo o dia, foi o que muitos expressaram a nossa irmã Neide Lourenço que retorna a casa do Pai, como também aos filhos Padre Giuliano e Amanda, nas mais diversas demonstrações de carinho e fé.

Às 15 horas aconteceu a celebração eucarística com a presidência de Dom Rubens Sevilha, OCD, e os concelebrantes Dom Frei Caetano Ferrari, OFM, Bispo Emérito de Bauru, os diáconos e padres da Diocese de Bauru, e também padres oriundos das Dioceses de Marília e Presidente Prudente, amigos e irmãos na fé do Padre Giuliano, que deixaram suas respectivas comunidades e dioceses para fazerem-se presentes junto ao amigo.

Durante a celebração, Dom Rubens Sevilha reflete sobre o mistério da morte não como uma resposta racional, mas sim um mistério que envolvido por um desfecho maior que a vida plena em Deus. Destaca a importância da vida de Cristo e da palavra “Ressuscitar”, esmiuçando que “Cristo ressuscitou, e isto significa que a vida venceu a morte”. Convidou todos os presentes a refletirem este mistério da ressurreição como vivência do dom de nossa fé e deste mistério que vai muito além da morte.

Ao final da celebração, Dom Rubens e Padre Giuliano ladeado pelos presentes realizam a última despedida com aspersão e incenso, retornando para o presbitério do Santuário. Neste momento final, Padre Giuliano agradeceu aos diáconos e padres presentes, aos fiéis presentes, principalmente da Paróquia São Judas Tadeu e São Dimas, das Paróquias Senhor Bom Jesus de Bauru, onde a Senhora Neide participou fervorosamente, como também da Paróquia São Benedito de Bauru onde a família também tem grande participação. Dedicou um especial agradecimento ao Padre Wellington Supriano – Paróquia Senhor Bom Jesus, pelo zelo pastoral e atenção à família, principalmente durante o período de enfermidade. Destacou a fé de sua mãe, mesmo diante dos sofrimentos e das dores, nunca se queixou de Deus. Foi um grande testemunho para todos, e assim, Padre Giuliano a homenageou cantando uma de suas canções favoritas.

A celebração encerrou-se com a benção. Mesmo a chuva forte que retinha as pessoas no templo, se via junto com a tristeza da despedida, também uma serenidade nas pessoas, um volume de voz mais baixo, um jeito de vivenciar o mistério da vida, um alento de fé, alguns o expressado em cada abraço ao Padre Giuliano e Amanda, em especial, outros em suas preces – muitas inaudíveis, mas que reverberam a partir do coração. O que se celebrou neste dia foi um agradecimento e a graça da Ressurreição, que sem melhor “explicação” que a fé possa dar, nasceu da vida plena em Jesus Cristo.  

Aos Padre Giuliano, Amanda, familiares e amigos: nossa fé na Ressurreição e na vida.