Reportagens Diocesanas
publicado em: 10/08/2019
O NOSSO PAI DO CÉU - POR DOM RUBENS SEVILHA

   Queremos hoje rezar pedindo a Deus pelos nossos pais. Começando pelos pais falecidos para que recebam a recompensa celeste e o descanso eterno por todo o bem que fizeram à própria família na criação e educação dos filhos.

    Todo pai, de alguma forma, participa da paternidade divina. A vida é sempre uma criação de Deus e os pais somente transmitem a vida, não a criam. Daqui decorre a proibição divina de alguém interromper a vida, seja no início (aborto), no meio (assassinato ou suicídio) ou no seu final (eutanásia). Somente Deus, que é o criador da vida, tem poder de tirá-la. Nós não somos donos da vida, somente transmissores e cuidadores dela.

    Hoje é o dia do Senhor, Pai de todos os pais. Deus é o criador de todas as coisas e nós somos os continuadores e cuidadores da obra de Deus. Infelizmente, o homem atual pretende rejeitar o pai (Deus) para sentir-se livre e independente. É a filosofia da morte de Deus. O fato é que, segundo alertou o Papa Bento XVI, quando o homem elimina Deus da sua vida, ele não se torna livre e independente como imaginava, pelo contrário, ele termina órfão e abandonado. Sentindo-se jogado na vida torna-se, por desespero ou vazio, presa fácil das ilusões do mundo, da carne e do demônio. O inicial desejo de liberdade termina sufocado e acorrentado pelas três forças escravizantes da alma: poder, prazer e possuir.

    Os pais devem ensinar aos seus filhos, por meio de exemplo e palavras, o que é a liberdade e a sadia independência. Só há liberdade naquilo que é bom e verdadeiro. O bem sempre liberta a si mesmo e aos outros ao seu redor. O mal sempre termina escravizando a si mesmo e aos outros ao seu redor. Satanás está continuamente se modernizando e reciclando seu modo de agir. Na Idade Média ele gostava de assustar as pessoas. Hoje o departamento de marketing de satanás percebeu que a propaganda enganosa é muito mais eficaz para destruir as almas. O “pai da mentira” (satanás) procura fazer o mal parecer bom e bonito e quer nos convencer que o bem é ruim e feio.

    Muitos, infelizmente, acreditam na propaganda enganosa de satanás e defendem ardorosamente coisas más e mentirosas como se fossem coisas boas e verdadeiras. O resultado nós vemos claramente na vida de muitas pessoas individualmente e na sociedade globalmente. O termômetro de avaliação é simples: tudo aquilo que é bom e verdadeiro causa paz e alegria; tudo aquilo que é mau e falso causa tristeza e angústia.

A experiência diária nos mostra que nem sempre o bem é agradável e o mal causa sofrimento. O bem, em muitas ocasiões, é tremendamente sofrido e o mal, em muitas ocasiões, muito prazeroso. Porém, as consequências do bem serão sempre paz e alegria espiritual e as consequências do mal todos nós as conhecemos muito bem.

    Sofrer pela causa do bem, como Jesus nos ensinou, é fonte de felicidade para si mesmo e ao redor de si. Tenho certeza que todas as pessoas felizes que você conheceu, eram pessoas boas, isto é, pessoas serenas (bem resolvidas consigo mesmas, maduras) que gostavam de gente. Toda pessoa infeliz que você conheceu, não gostava de gente, pois eram egoístas, autocentradas, ensimesmadas.

    É impossível alguém ser pai e ser egoísta ao mesmo tempo. Todo pai renuncia a maior parte da sua vida pelo bem da sua família. Isto é amor. Aquele que “desperdiçou” a própria existência pelo bem dos filhos e da família, termina os seus dias cheios de paz e serenidade. O egoísta termina amargurado e infeliz.

    Queridos pais, não somos perfeitos, mas a graça amorosa de Deus supre e completa a nossa fraqueza de alma. Tenham fé e orem muito por seus filhos e por sua família. Confiem no Senhor, pois Ele cuida de vocês, da sua família e de cada um dos seus filhos, bons e maus. Parabéns! Deus abençoe vocês e sua família. Amém.

    Quero convidar vocês para a Caminhada da Família que realizaremos no próximo domingo, dia 18, saindo da Catedral, às 8h30 e vamos encerrar a caminhada com a Santa Missa, no parque Vitória Regia.

Bauru, 11 de agosto de 2019.  

Dom Rubens Sevilha, OCD.