Palavra do Bispo
Quem entra e sai pela porta?

Só entra e sai pela porta da casa alguém que é da casa, da família, dos amigos. Não será um estranho, muito menos um ladrão. O estranho bate à porta e espera para ser atendido e só entrar se for convidado. O ladrão, porém, para entrar só arrobando portas, janelas, telhados, à noite, ou rendendo à força pessoas da casa para nela entrar disfarçadamente.

            Jesus usa a metáfora da porta para contar aos discípulos uma parábola mediante a qual Ele se declara como o “Bom Pastor”. É o que São João Evangelista nos narra no Evangelho da santa Missa deste quarto domingo da Páscoa – Jo 10,1-10.

            Para demonstrar que é o Bom Pastor, Jesus primeiramente diz que Ele é a porta. Pois pela porta do redil só entra e sai o pastor das ovelhas. Para o pastor o porteiro do aprisco abre a porta, as ovelhas escutam a sua voz; ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz para fora a pastar, a beber água fresca da fonte, a descansar à sombra das árvores, a passear a céu aberto. Ele não deixa que nenhuma se perca, as defende contra as feras e os assaltantes, as cura das quedas, pragas e doenças e as reconduz ao redil para o sono da noite. Ele reconhece as suas ovelhas pelo cheiro e esse cheiro ele leva consigo para a sua casa. O pastor segue à frente do seu rebanho e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz e sentem o seu cheiro. As ovelhas não seguem um estranho, antes fogem dele, porque não conhecem a voz dos estranhos.  Como o pessoal não entendia o que Jesus queria dizer, Ele usou a fórmula que aparece em outras ocasiões quando o assunto precisava ser enfatizado com autoridade e força, a saber: “Em verdade, em verdade vos digo, Eu sou a porta das ovelhas. Outros que tentaram entrar por ela, mas as ovelhas não escutaram a sua voz, eram ladrões e assaltantes”. Repetiu a expressão: “Eu sou a porta. Quem entrar por mim será salvo; entrará e sairá e encontrará pastagem”. E acrescentou: “O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.     

            Este quarto domingo da Páscoa é liturgicamente o Domingo do Bom Pastor. Já no Salmo 23 (22) cantamos: “O Senhor é meu pastor, nada me falta. Em verdes pastagens me faz repousar...” É uma profecia messiânica a apontar para Jesus. Então, à luz do Evangelho somos convidados a contemplar Nosso Senhor Jesus Cristo vivo e ressuscitado, porque Ele é o Bom Pastor, hoje e sempre. Como a principal função do Bom Pastor é ser porta por onde as ovelhas possam entrar e sair, porque elas são da família dos Batizados, elas assim o fazem com toda a liberdade a fim de seguir o chamado do Bom Pastor que o reconhecem pela voz e pelo cheiro. Ele não é o ladrão nem o assaltante que vem para tirar delas a vida, ao contrário, Ele é a porta de acesso à vida plena, eterna e feliz que Ele mesmo a concede em abundância.

            Por ser domingo do Bom Pastor, hoje, é dia de orações pelas vocações sacerdotais e religiosas, bem como pela perseverança dos nossos padres, diáconos, consagrados e consagradas. Toda a Igreja exerce a função de porta e de Bom Pastor para todos os fiéis, a fim de que todos tenham a vida nova em Cristo. Nela, de modo especial, os ministros ordenados e os consagrados exercercem essa função para o bem do povo de Deus, dedicando a sua vida  como missionários, ministros do culto e servidores na caridade. Eles, desta forma, dão continuidade à função de Cristo de ser o Bom Pastor. No entanto, como os cristãos participam do sacerdócio comum em Cristo pelo Batismo, todos devem exercer também essa função de porta e de Bom Pastor para o bem dos irmãos e irmãs da comunidade e da sociedade em geral.

            Declarações recentes feitas por personagens públicos da maior importância mundial tornaram famosas as expressões “construir muros” ou “construir pontes”. Sabemos quem disse uma e outra, quais as suas diferenças e o sentido de cada uma delas. Pois bem, “entrar pela porta” ou “entrar por outro lugar” não é a mesma coisa, ao contrário são coisas diferentes, com significados diversos, como Jesus acabou de explicar no Evangelho. “Ser porta” ou “ser muro” o são igualmente diferentes. Tanto que Jesus disse e repetiu que Ele é a porta e jamais que é o muro.    

            Rezemos esta oração vocacional: Jesus, Bom Pastor, que chamastes os apóstolos para caminhar convosco, continuai a passar pelas nossas famílias e comunidades, e despertai corações generosos para seguir como apóstolos leigos, como sacerdotes e como religiosos e religiosas para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade. Amém

            Certa vez Jesus disse: “A messe é grande, mas os operários são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da messe que envie operários para a sua messe” (Lc 10,2).             

Dom Caetano Ferrari, OFM

Diocese de Bauru