Material Formativo
Subsídio para Mês Vocacional - Agosto de 2015

Mês de oração pelas Vocações 2015

“DIVERSAS VOCAÇÕES PARA UMA GRANDE MISSÃO”

Reverendíssimos Srs. Padres e caríssimos irmãos leigos responsáveis pela preparação litúrgica nas celebrações comunitárias.

É  agosto,  mês  de  oração  pelas  vocações.  Durante  os cinco domingos deste mês somos chamados a enfatizar o caráter vocacional em nossas celebrações litúrgicas. A intenção deste mês vocacional surgiu da vontade dos bispos no ano de 1981, em cumprimento  da  ordem  de  Jesus  “Peçam  ao  senhor  da Messe que mande operário para a colheita” (Mt 9, 37).

No intuito de contribuir com o trabalho desenvolvido nas paróquias elaboramos este material. Este subsidio quer ser uma sugestão para as ações litúrgicas e catequéticas a serem desenvolvidas.

Fazemos votos que possam ser aproveitadas, se não em sua totalidade, em partes ou na inspiração de outras ações vocacionais.

Contamos com suas orações em favor de nosso serviço, e que juntos rezemos e fomentemos as diversas vocações para nossa Igreja.

Como temática vocacional sugerimos alguns símbolos permanentes. Este “cenário vocacional” pode ser montado na entrada principal ou próximo do presbitério. Não convém montar no presbitério, pois isso “incharia” o espaço litúrgico celebrativo. Sugerimos que se prepare uma cena de pescaria, com um pequeno barco e uma rede de pesca (ou o que for possível), flores, velas, símbolos do batismo (jarra com água, bacia, vidro com óleo, etc...) e a Bíblia.

A cada domingo, acrescenta-se um símbolo próprio.

 

                                                                  1º Domingo de Agosto (02/08)

Vocação sacerdotal

18º Domingo do Tempo Comum

Leituras: Ex 16, 2-4.12-15 / Ef 4, 17.20-24 / Jo 6,24-35

 

Ornamentação:

+    Junto   ao  cenário   vocacional (ou  na  entrada principal  ou  próximo do presbitério, e  não  no presbitério), preparar  uma  faixa  com  dizeres  que enfatizem    a   vocação    sacerdotal  (por   exemplo:  “Dar-vos-ei   pastores segundo  o Meu coração  (Jer 3, 15)” ou “o padre  de amanhã, não  menos que  o  de  hoje,  deverá   assemelhar-se  a  Cristo”  ou  “O  padre   é  ‘tirados dentre os  homens  e  constituídos a  favor  dos  homens  nas  coisas que  se referem  a Deus, para  oferecerem dons  e sacrifícios pelos pecados” (PO 3) “Padre:  homem da  Eucaristia” ou  “Todo sacerdote é escolhido  do  meio do  povo, e  representa  o  povo diante   de  Deus,  para  oferecer   dons  e sacrifícios. Ele deve ter compaixão de todos  nós!”

+    Dispor  junto   à  ornamentação,  de  forma   digna,   a  estola  sacerdotal,  o cálice a patena.

+   Se  possível,   providenciar  um   cartaz   com   os   nomes    dos   padres    e seminaristas filhos da comunidade.

+   Destacar a Cruz com o Crucificado e uma cesta com pães.

Procissão de entrada:

+   Se possível,  pode-se   conduzir   uma  imagem   ou  quadro  de  São  João Maria Vianney, patrono dos padres.

Ato penitencial:

+   Pode-se  fazer  a bênção  e a aspersão  da  água  em  memória do  batismo, fonte  de todas  as vocações  (cf. IGMR 51).

 

Liturgia da Palavra:

+    Existem vários  refrãos  meditativos. A editora Paulus  produziu  um  CD (CHAMASTE-ME, SENHOR!  Refrãos  Orantes  Vocacionais)  que  trazem belas sugestões;

+    O  Padre  é o  homem da  Palavra.  Pode-se  pensar  em  uma  entronização do livro das Sagradas Escrituras (Bíblia).

Preces:

+    Rezar  pelo   padre(s)   da  paróquia  e  pelos  seminaristas  da  Diocese  (ex: Senhor Jesus Cristo, que ensinastes a Igreja com a prudência e o amor  dos Santos,  guiados  pelo(s)  nosso(s)  pastor   (es)  N.  N,  fazei-nos  crescer  na santidade. //  Através  dos  vossos  representantes  na  terra,   o(s)  padre(s) N.N  continuais  a ser o  Pastor  das  nossas almas,  não  vos  canseis de  nos dirigir por  intermédio de nossos pastores.  // Senhor  que  chamastes  vários jovens  a  te  seguirem  com  sacerdotes, fortalecei  e  daí  perseverança aos seminaristas   de   nossa   diocese,   para   que   respondam  com   amor   teu convite...)

Procissão das ofertas:

+    É  de  louvor   que   o  pão   e  o  vinho   sejam  apresentados  pelos   fiéis  e recebidos  pelo  sacerdote. Note  bem:  na  procissão  se conduz  as galhetas com água e Vinho (ou apenas  o vinho)  e as hóstias na âmbula  ou cibório. Se houver  vocacinados à  vida  sacerdotal, seria  interessante que  estes os conduzisse.  Caso  não  haja,  é  conveniente pedir  a  jovens  que  façam  a procissão.

Mensagem final:

+    É louvável que alguém da assembleia dirija uma breve mensagem ao(s) padre(s). Além de expressar a gratidão do  povo, serve como promoção vocacional. Há uma bela musica de Padre  Zezinho chamada Oração pelo Pastor (Álbum: Lá na terra do contrário) que pode ser usada. Há também diversas versões do salmo 110 (tu és sacerdote), entre outras...

+    Se for da vontade do padre, pode-se pensar em uma oração feita pelo padre  à Maria, pedindo interseção  pelo  seu ministério.

 

 

                                                                   2º Domingo de Agosto (09/08)

Vocação Matrimonial/Familiar

19º Domingo do Tempo Comum

Leituras: 1Rs 19, 4-8/ Ef 4,30-5,2/ Jo 6, 41-51

 

Ornamentação:

+   Junto   ao  cenário   vocacional (ou  na  entrada principal  ou  próximo do presbitério, e  não  no  presbitério), preparar  uma  faixa  com  dizeres  que enfatizem  a vocação  Matrimonial/Familiar (por  exemplo: “Família,  Não tenhas  medo!”  ou  “Familia,  Berço das  vocações”  ou  “O  senhor  os uniu em  uma   só  carne,   e  nada   poderá  separá-los”   ou  “quando  as  nossas famílias  enfrentam  o  sofrimento  olhemos   para  a  Cruz  de  Cristo!  Nela encontraremos a coragem  para  prosseguir o caminho  (Pp Bento XVI)” ...)

+    Dispor   junto    à   ornamentação,   símbolos    do    matrimonio   (coração, alianças) e fotos (ou imagens) de famílias.

+   Destacar a imagem/ quadro da Sagrada Família. Procissão de entrada:

+   Se possível, pode-se  conduzir  uma imagem  ou quadro da Família.

+   Convém  providenciar leitores e MECEs que sejam casados. Ato penitencial:

+    Pode-se  fazer  a bênção  e a aspersão  da  água  em  memória do batismo, fonte  de todas  as vocações  (cf. IGMR 51).

Liturgia da Palavra:

+    Se se optar pela  entronização do  livro  das  Sagradas  Escrituras (Bíblia) pode-se    pedir    que    uma    família    a    conduza,   ou    então   jovens caracterizados de “Sagrada Família”.

+   As leituras podem ser proclamadas por  pais (já que também é dia deles)

cercados  de membros de suas famílias (esposa,  filhos), e estes empunham velas.

Preces:

+   Rezar pelos pais e pelas famílias. Procissão das ofertas:

+    É de louvor que o pão e o vinho sejam apresentados pelos fiéis e recebidos pelo sacerdote. Note bem: na procissão se conduz as galhetas com água e Vinho (ou apenas o vinho) e as hóstias na âmbula ou cibório. Uma família pode conduzir as oferendas.

Mensagem final:

+   É louvável que alguém da assembleia dirija uma breve mensagem aos pais.

Vale destacar o exemplo dado por aqueles que honram a vocação de esposo e de Pai.

+    Há um álbum de Pe. Zezinho dedicado às famílias (Canção que a família escreveu), particularmente a musica “Melhores Filhos, Melhores Pais”pode ajudar neste momento, bem como a faixa o7 e 08 do CD “Vida”de Pe. Fabio de Melo (poema “Deus é Pai”, e Musica “Pai”).

+    Pode-se pensar em uma oração feita pelas famílias à Maria, pedindo interseção.

 

+   Inicia-se a semana da Família


 

 

                                                                 3º Domingo de Agosto (16/08)

Vocação à Vida Religiosa

20º Domingo do Tempo Comum

Leituras: Ap 11,19a; 12,1.3-6a.10ab/ 1Cor 15,20-27a/ Lc 1,39-56

 

Ornamentação:

+    Junto   ao  cenário   vocacional (ou  na  entrada principal  ou  próximo do presbitério, e  não  no  presbitério), preparar  uma  faixa  com  dizeres  que lembrem   a  vocação   à  vida  Religiosa  (Por  exemplo “Feliz  de  quem   se consagra  ao  Senhor!”  ou  “A Vós me  consagro  de  corpo  e  alma,  Cristo meu Senhor, e com lâmpada acesa venho  ao vosso encontro” ...)

+    Destacar   a   imagens   de   pessoas   que   se  consagraram  à   Deus   como Religiosos  (por   exemplo,  S.  Francisco,  Sta.  Clara,  Sta.  Terezinha,   São Bento,   S.  Benedito,    S.  Luiz   Monfort,  S.  Antonio,  S.  Domingos,    S. Agostinho,  S. Galvão  S. Camilo...)

+   Destacar a Imagem de Maria;

+   Destacar o símbolo  da lâmpada (vela ou, se possível, lamparina de óleo) Procissão de entrada:

+    Recordando a festa da Assunção de Maria pode-se  pensar  e entronização de  ima  imagem  de  Maria  no  inicio  da  celebração (parece-nos melhor fazê-la  ou  antes  da  procissão   de  entrada,  com  um  canto   próprio  e diferente  do  canto  da procissão  inicial, ou   após  a procissão  de entrada, antes  da  saudação inicial, ou  a  critério  do  padre). Pode-se  pensar  em vestir  algumas  crianças  com   vestes  similares  a  de  freiras  e  freis  dos diversos  institutos  religiosos, e coloca-las na entronização da Imagem  de Maria. Ao final elas podem coroar  a Imagem.

+    Se a  paróquia conta   com  ajuda  de  irmãos  ou  irmãs  consagradas,  ou pertencentes às “Ordens terceiras”  valoriza-los  ao  máximo,  delegando- lhes as leituras, preces, procissões...

Ato penitencial:

+    Pode-se  fazer  a bênção  e a aspersão  da  água  em  memória do  batismo, fonte  de todas  as vocações  (cf. IGMR 51).

Liturgia da Palavra:

+    A entronização do  livro  das  Sagradas  Escrituras (Bíblia) pode   ser  feita pelos  consagrados,  ou  por  crianças  caracterizadas.  Outra   ideia  é  sete jovens moças entrarem com velas (lâmpadas) acesas.

+   As leituras podem ser proclamadas pelos consagrados (caso tenham). Procissão das ofertas:

+    É  de  louvor   que   o  pão   e  o  vinho   sejam  apresentados  pelos   fiéis  e recebidos  pelo  sacerdote. Note  bem:  na  procissão  se conduz  as galhetas com água e Vinho (ou apenas  o vinho)  e as hóstias na âmbula  ou cibório. Caso haja, os religiosos pode  conduzir  as oferendas.

 

 Mensagem  final:

+   Caso  algum   institutos   de   vida   consagrada  tenha   desempenhado  seus trabalhos  na  paróquia, ou  ainda   desempenhem,  é  louvável   dirigir-lhes algumas palavras.  Vale destacar  seu trabalho e benfeitorias.

Coroação:

+   Por ser festa da Assunção, vale fazer a coroação da imagem.  Pode-se pedir às crianças caracterizadas que a façam.

 

 

                                                            4º Domingo de Agosto (23/08)

Vocação aos vários ministério  e serviços leigos

21º  Domingo do Tempo Comum

Leituras: Js 24,1-2a.15-17.18b/ Ef 5,21-32/ Jo 6,60-69

 

Ornamentação:

+    Junto   ao  cenário   vocacional (ou  na  entrada principal  ou  próximo do presbitério, e  não  no presbitério), preparar  uma  faixa  com  dizeres  que lembrem  a vocação  dos leigos. (Os nossos tempos  exigem um apostolado cada  vez mais intenso  / Os Leigos  exercem  o apostolado com  a sua ação para  evangelizar   e  santificar  os  homens   / Leigo:  católico  inserido  pelo Batismo,  robustecido  pela  Confirmação e  alimentado pela  Eucaristia! / Vocações diversas para  uma grande  Missão! ... )

+    Destacar a imagens de pessoas da comunidade que se consagraram à Deus como  leigos, que atuam  na comunidade ou já atuaram.

+    Seria um  dia propício  para  destacar  quadros de  santos/beatos leigos, tais como  D. Nhá  Chica, Sta. Guianna  Molla,  B. Chiara  Luce, B.Louis e Zélie Martin (pais de sta. Terezainha)   Sta. Isabel da Hungria, Albertina Berkenbrock...

+   Destacar  os documentos  “Apostolicam Actuositatem” (CVII), Christifideles laici, e Documento de Aparecida.

+   Destacar um globo  terrestre  ou mapa  mundi. Procissão de entrada:

+   Se conveniente,  o  CPP  fique  responsável  pela  celebração  (Animação; leituras...);

+    Na   precisão   de   entrada,   membros  de   todas   pastorais/movimentos podem entrar  trazendo algum símbolo  que represente seu trabalho.

Ato penitencial:

+    Pode-se  fazer  a bênção  e a aspersão  da  água  em  memória do  batismo, fonte  de todas  as vocações  (cf. IGMR 51).

Liturgia da Palavra:

+    A entronização do  livro  das  Sagradas  Escrituras (Bíblia) pode   ser  feita pelos leigos responsáveis  pela liturgia paroquial.

Procissão das ofertas:

+    É  de  louvor   que   o  pão   e  o  vinho   sejam  apresentados  pelos   fiéis  e recebidos  pelo  sacerdote. Note  bem:  na  procissão  se conduz  as galhetas com água e Vinho (ou apenas  o vinho)  e as hóstias na âmbula  ou cibório.

Mensagem  final:

+   Caso haja,  seria interessante que o padre  dirigisse uma mensagem  especial aos  seus colabores  e  exortassem que  mais  pessoas  batizadas  assumissem funções na paróquia.

+    Há  várias  músicas que  destacam  o  trabalho do  povo de  Deus.  É muito significativa a música de padre  Zezinho  “Convite” (CD Cantigas de pão  e vinho),  ou “Cidadãos deste  Reino de Amor”  e “Saberemos  corresponder” (CD  Covívio)   Ide  anunciar   (CD  Ele  me  ungiu)   e  até   mesmo   “Nova Geração”.

 

 

                                                                5º Domingo de Agosto (30/08)

Dia dos catequistas

22º Domingo do Tempo Comum

Leituras: Dt 4,1-2.6-8/ Tg 1,17-18.21b-22.27/ Mc 7,1-8.14-15.21-23

 

+    Como   neste  dia  é  dia  do   catequista,  e  a  maioria  das  paróquias   já costumam   preparar    celebrações   especiais.   Assim,  não   apontaremos nenhuma  sugestão. Contudo,  exortamos  que rezem e animem as vocações a este serviço tão belo nas comunidades.

 

 

 Para CPP – Oração inicial

 Animador   (A) –  Em nome   da  Trindade   Santa,  que  nos  amou   primeiro   e  nos convida  a amar  cantemos: Em nome  do  Pai, em nome  do  Filho, em nome  do Espírito Santo, estamos aqui!

A – Somos chamados a viver santamente, no  cotidiano de nossas vidas, à luz da Palavra  de Deus. Assim nos diz a Constituição Dogmática  Lumem Gentiun.  Com alegria ouçamos  a Palavra de Deus:

L1.  Naquele tempo  o  Senhor  escolheu  outros   setenta   e  dois  discípulos,  e  os enviou  dois  a dois,  na  sua frente, para  toda  cidade  e lugar  aonde ele  próprio devia  ir. E lhes dizia: «A colheita  é grande,  mas os trabalhadores são poucos.  Por isso peçam  ao  dono da colheita  que  mande  trabalhadores para  a colheita.  Vão! Estou enviando vocês  como  cordeiros  para  o meio  de  lobos.  Não  levem  bolsa, nem   sacola,   nem   sandálias,   e  não   parem   no  caminho,  para   cumprimentar ninguém.  Em qualquer casa onde  entrarem, digam  primeiro: ‘A paz  esteja  nesta casa!’ Se aí morar  alguém  de paz,  a paz de vocês irá repousar sobre  ele; se não, ela voltará para  vocês. Palavra da Salvação!

 

Oração

L2. Senhor  da  vinha  e  pastor  do  rebanho, somos  tua  Igreja,  Povo  de  Deus  a serviço da Vida. Cria em nós a consciência vocacional, ajuda-nos  a sermos corresponsável na Evangelização,  escutando o teu mandato:

 T.: Ide também vós para  minha  vinha!

 L1.  Dá-nos,  Senhor,  servidores  do  teu  reino:  bispos,  padres,  diáconos, irmãos  e irmãs  de  vida  consagrada, seminaristas  e  cristãos  leigos.  Que  respondam com alegria a disponibilidade à tua convocação:

 T.: Ide também vós para  minha  vinha!

 A.: rezemos juntos a oração do Pai-nosso...

 

 HORA SANTA VOCACIONAL

“Vocações diversas para  uma grande  missão”

 Refrão de interiorização

Tu és Senhor o meu Pastor, por isso nada em minha vida faltará. Tu és Senhor o meu Pastor, por isso nada em minha vida faltará.

 Anim.  Neste  mês  a  Igreja  celebra  o  mês  vocacional, as Vocações  são  dom  do Amor  de  Deus.  Queremos elevar  ao  Senhor  um  hino  de  agradecimento e  de louvor    pelas    vocações,    pois    animação   e   a   Oração   pelas    Vocações    é responsabilidade de toda  Igreja. Com alegria advinda do Ressuscitado,  adoremos Jesus Cristo Sacramentado:

Dir.: Graças e louvores  se deem  a todo momento (3x). Todos:  Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento.

Dir.:  Adoramos, Senhor  a  tua  santa  vontade. Em tua  sabedoria infinita,  foste multiplicando e abençoando a humanidade. Cada vez mais cresce a população, e com ela, a necessidade  de pessoas que sejam sal da terra  e luz do mundo. Torna-se fundamental o  surgimento de  novas  e numerosas vocações  para  os diversos ministérios da Igreja.

Todos:  Diante  de  vós  Jesus nos  encontramos nesse Altar que  se renova a cada Santo  Sacrifício, numa  atitude  de  comprometimento  com  a oração vocacional, firme no desejo de fermentar o seu Reino e suplicar: “A Messe é grande  e poucos são os operários. Mandai, pois, operários para  a Vossa Messe”.

Leitor  1: Irmãos,  façamos  brotar do  coração, nossa  declaração de  fé e de  amor diante  do Cristo eucarístico, vivo e ressuscitado:

Leitor  2:  Creio  Senhor,  que  seu  amor  é  fiel de  geração   em  geração   e  nunca falhará.  Creio  que  a Eucaristia é no  seu sacrifício, expressão  perfeita  de  Amor, Amor de Deus que  nos toca.  Creio Senhor  na Eucaristia, que  é o alimento   para viver plenamente a minha  vocação  e viver o amor  ao próximo, em cujo rosto  se aprende a vislumbrar  o de Cristo Senhor.

Anim.:  Ouçamos  com  o  coração   aberto a  Palavra  que  Deus  nos  dirige  neste Evangelho  de Jo 10,11-18

 Eu sou o bom pastor.  O bom pastor  dá a vida por suas ovelhas. O mercenário, que não  é pastor  a quem  pertencem,  e as ovelhas  não  são suas, quando  vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e sai correndo.  Então o lobo ataca e dispersa as  ovelhas.  O  mercenário   foge  porque   trabalha   só  por  dinheiro,   e  não  se importa  com as ovelhas. Eu sou o bom  pastor:  conheço  minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou a vida pelas ovelhas. Tenho também  outras ovelhas que não são deste curral. Também a elas eu devo  conduzir; elas ouvirão  a minha voz, e haverá  um só rebanho  e um só pastor.  O Pai me ama,  porque  eu dou  a minha  vida para  retomá-la  de novo.  Ninguém tira a minha vida; eu a dou  livremente.  Tenho  poder  de dar a vida e tenho poder  de retomá-la. Esse é o mandamento que recebi do meu Pai.

 (Breve momento de silêncio para oração pessoal meditando o Evangelho.)

L1. O Amor de Deus trata-se de um amor  sem reservas, que nos precede, sustenta e chama  ao longo  do caminho  da vida e que tem sua raiz na gratuidade absoluta de Deus. De fato,  cada vocação  específica nasce da iniciativa de Deus, é dom  do Amor  de  Deus! É Ele que  realiza  o  primeiro  passo,  e não  o  faz por  particular bondade que  teria  vislumbrado em  nós,  mas  em  virtude   da  presença  do  seu próprio “amor derramado nos corações pelo Espírito Santo” (Rm5,5)

L2.  Em todo o  tempo, na  origem  do  chamamento divino  está  a  iniciativa  do amor  infinito  de Deus, que se manifesta  plenamente em Jesus Cristo. Na história de amor  que a Bíblia nos narra,  Ele vem ao nosso  encontro, procura conquistar-nos até  a Última  Ceia, até  ao  Coração  traspassado  na  cruz, até  às aparições  do Ressuscitado  e às grandes  obras  pelas  quais Ele, através  da  ação  dos  Apóstolos, guiou  o  caminho  da  Igreja nascente.  Também  na  sucessiva história  da  Igreja,  o Senhor  não  esteve  ausente:  incessantemente vem  ao  nosso  encontro, através  de pessoas   nas  quais  Ele  Se  revela;   através   da   sua  Palavra,   nos   Sacramentos, especialmente na Eucaristia.

L3. O Amor de Deus permanece para  sempre,  é fiel a si mesmo,  à “promessa que jurou  manter por  mil gerações”(Sal  105,8).  Por isso é preciso  anunciar  de novo, especialmente  às  novas  gerações,   a  beleza  persuasiva  deste  amor   divino,   que precede e acompanha: este amor  é a mola secreta, a causa que não  falha, mesmo nas circunstâncias mais difíceis.

Anim.:   Depois   de   colocarmos  na   presença    do   Senhor,   buscando  ouvi-lo, refletindo sua Palavra e louvando-o queremos manifestar  a ele o desejo  do nosso coração  através  de nossas preces:

(Cantado)   Poucos   os   operários,  poucos   trabalhadores,/  e   fome   do   povo aumenta mais e mais./És o Senhor da Messe,/ ouve  esta nossa prece,/ põe  sangue novo  nas veias da tua Igreja.

L1.  Pelos  vocacionados e  vocacionadas, acompanhai-os  em  suas dificuldades  e dúvidas,  fortalecei-os  e animai-os  sempre.

L2. Cristo, insistimos que pela vossa graça, muitos jovens sejam chamados a viver na doação o serviço dos irmãos.

L.3. Senhor te pedimos  de modo especial pelas nossas famílias, pois elas são terra boa de onde  surgem as vocações  para  servir em favor da humanidade.

L.4. Enviai Senhor santos  ministros  ordenados, convictos  de ser “Auxiliadores  de Deus”,  religiosos  dispostos  a viver  a radicalidade da  prioridade a Deus e a seu Reino  com  profetismo a serviço  do  mundo, e por  fiéis leigos dispostos  a viver como  sal da terra e luz do mundo.

L.5.  Pelo Serviço de  Animação  Vocacional,  que  cada  vez mais seu trabalho seja fecundo  e faça nascer no seio de nossas paróquias e comunidades, santas, sábias e sadias vocações.

 (Preces espontâneas  e concluir com a oração do Pai Nosso)

 Canto:  Sou Bom  Pastor  ovelhas  guardarei, não  tenho outro oficio  nem  terei, quantas  vidas eu tiver, eu lhes darei.

Anim. Agora rezemos  juntos pelas diversas vocações  e ministerios:

L1. Prece pela vocação  a vida Senhor da vida,  de forma  tão  admirável nos deste este singular dom  que é viver. Por  pura  gratuidade nos  chamastes  a  vida  e  ao  criar  ao  homem nos  destes  a missão de co-criadores. Por vossa misericórdia,  dai-nos viver com gratuidade este chamado  e  protegei  com   vosso  amor   de  Pai  e  Mãe   tantos   filhos  que   são ameaçados a não  vier com plenitude esta vocação.

Tu te abeiraste  na praia

Não  buscate nem sábios, nem ricos

Somente  queres que eu te siga....

L2. Prece pela vocação  a santidade

Somente  vos  sois Santo  e  fonte  de  toda  santidade, Senhor  Deus  do  universo! Contudo por  vosso  infinito  amor  chamaste-nos a compartilhar desta  santidade. Assim como  o  sol não  pode  negar  seu calor  a que  sob  ele fica exposto, assim também não  se pode  aproximar de  vós sem inebriar-se  de  vossa santidade. Por que  sois santo,  ajuda-nos  a viver de  forma  digna  esta vocação  a santidade, dai- nos cumprir vossa vontade e nunca nos distanciarmos de vós.

 Senhor, Tu me olhaste  nos olhos A sorrir, pronunciaste meu nome  Lá na praia,  eu deixei o meu barco Junto  a Ti, buscarei outro mar

L3. Prece pelas vocações  leigas

Senhor  Jesus,  Filho  do  Deus  vivo,  tantos  são  membros que  cooperam com  a manutenção de  vosso  Corpo, que  é a Igreja,  de  forma  exaustiva.  Porém  tantos são os que se omitem e não  ouvem  seu chamado. Olhai  por  todos  nós, vós que não  conhecestes  o  mal,  encorajai  a  todos   os  que  se gastam  nas  mais  diversas pastorais  e  movimentos, como  o  Cireneu  auxiliando a  levar  aos    mais  alto  a loucura  redentora da Cruz, e chamai mais operários a tua Igreja Católica.

 

Tu sabes bem que em meu barco

Eu não  tenho nem ouro  nem espadas

 

 

 

Somente  redes e o meu trabalho...

 

 

L4. Prece pelas vocações  religiosas

 

Senhor  Jesus, para  o  devido  anuncio  de  vosso  Evangelho  chamastes discípulos.

 

Ainda hoje  muito  se dedicam  a seguir este chamado sendo  um (a) religioso  (a).

 

Vós peço  que  animeis  estes vosso  filhos na radicalidade de  vosso  seguimento, e

 

ainda   hoje  chamais  homens   e  mulheres   a  seguir-vos  e  testemunhar-vos  com

 

amor.

 

 

Tu minhas mãos solicitas

 

Meu cansaço, que a outros  descansem

 

Amor que almeja seguir amando.

 

 

L5. Prece pelas vocações  sacerdotais 

 

A vocação  sacerdotal é um  dom  de  Deus, que  constitui  certamente um grande

 

bem para  aquele  que é seu primeiro  destinatário. Mas é também um dom  para  a

 

Igreja  inteira,   um  bem  para   sua  vida  e  missão,  assim  sendo   ó  Bom  Pastor,

 

protegei com vosso coração  chagado  aqueles que escolhestes,  animai mais jovens

 

aos vosso seguindo  e fortalecei  todos  os seminaristas.

 

 

Tu, pescador de outros  lagos

 

Ânsia eterna  de almas que esperam

 

Bondoso  amigo,  assim me chamas...

 

 

Todos:  Oração pelas vocações

 

Senhor  da Messe e pastor  do  rebanho faz ressoar  em nossos ouvidos  teu forte  e

 

suave convite:  “Vem e segue-me”.  Derrama  sobre  nós o teu Espírito, que ele nos

 

dê  sabedoria para  ver  o  caminho  e generosidade para  seguir tua  voz.  Senhor,

 

que  a messe não  se perca  por  falta  de  operários, desperta nossas comunidades

 

para  a missão, ensina nossa vida a ser serviço, fortalece  os que querem  dedicar-se

 

ao Reino na vida consagrada e religiosa.

 

Senhor,  que o rebanho não  pereça  por  falta de pastores.  Sustenta a fidelidade  de

 

nossos   bispos,    padres,    diáconos    e   ministros.    Dá   perseverança   a   nossos

 

seminaristas.  Desperta  o coração  de nossos jovens  para  o ministério  pastoral  em

 

tua  Igreja.  Senhor  da  Messe e pastor  do  rebanho chama-nos  para  o  serviço  de

 

teu povo.

 

        Maria,   Mãe  da  Igreja,  modelo  dos  servidores   dos  servidores   do  Evangelho, ajuda-nos  a responder o SIM. Amém.

 

 

Saudação  a Maria

 

 

À vossa  proteção  recorremos, Santa  Mãe  de  Deus.  Não   desprezeis  as  nossas súplicas em  nossas  necessidades;  mas  livrai-nos  de  todos  os  perigos,  ó  Virgem   

gloriosa e bendita.

 

Maria de Nazaré,  Maria me cativou

Fez mais forte a minha  fé

E por filho me adotou

As vezes eu paro  e fico a pensar E sem perceber, me vejo a rezar E meu coração  se põe  a cantar Pra Vigem de Nazaré

Menina  que Deus amou  e escolheu Pra mãe de Jesus, o Filho de Deus Maria que o povo inteiro  elegeu Senhora  e Mãe do Céu

 

Ave - Maria (3X), Mãe de Jesus!

 

Canto:  Me chamaste  para  caminhar  na vida  contigo,  decidi para  sempre  seguir- te,   não  voltar  atrás.  Me  puseste  uma  brasa  no  peito  e uma  flecha  na  alma,  é difícil  agora  viver sem lembrar-me de Ti...

Te amarei,  Senhor! Te amarei,  Senhor!

Eu só encontro a paz e a alegria bem perto de Ti!

 

Rito da Bênção do Santíssimo (onde houver a presença do ministro ordena